↑ Retornar para Atividades

Imprimir Página

ATV – Amateur TV

O que é:

Esta é uma modalidade ainda não explorada pelos radioamadores brasileiros. Que pelo próprio nome já denota é a transmissão e recepção de sinais de TV (áudio e vídeo) por radioamadores.

Seu nome técnico é FSTV de “Fast Scan TeleVision”. Já que a própria emissão de TV é a projeção de quadros sobrepostos numa velocidade tal que o olho humano acaba por enxergar uma continuidade entre os quadros. Desta forma aquilo que num momento estático poderia ser apenas uma foto, com a projeção sobreposta funciona como filme. Por outro lado, existe o SSTV de “Slow Scan TeleVision” que é a transmissão e recepção de imagens estáticas.

O tipo de “modulação”, de vídeo, para TV’s comerciais de transmissão terrestre, é a VSB ( Vestigial Side Band ), com a portadora de cor em 3,58 Mhz. Já a portadora de “áudio” em TV’s comerciais, é de 4,5 Mhz e nas TV’s via satélite o desvio é de 5 Mhz até 6 Mhz. O AM também é utilizado.

NBTV:

Existe também a possibilidade de utilização em banda lateral. Neste caso, é o NBTV de “Narrow Band TeleVision”, utilizando-se de recursos da informática por intermédio de softwares específicos. Ao que parece, o NBTV é mais um “modo digital”.

Alguns sites são interessantes para explicar como funciona o NBTV:

http://www.qsl.net/zl1wtt/nbtv.htm

http://nl9222.home.xs4all.nl/software.htm – Softwares para NBTV e outros modos digitais de imagem via rádio

 

Faixas de Operação:

No Brasil, de acordo com a Resolução 452/2006 da ANATEL, podemos localizar as faixas disponíveis para a utilização de ATV. São elas:

  • Em 33 cm:

921,00 a 927,00 – FSTV (todos) ATV (Canal 2);

  • Em 23 cm:

1.240-1.260 – Todos os modos;
1.276-1.282 – Todos os modos FSTV-AM prioritário; portadora de vídeo 1.277,25 MHz; portadora de áudio: 1281,75 MHz. Outros modos desde que não interfiram em segmentos adjacentes;
1.288-1.294 – FSTV (todos) Emissões experimentais de banda larga, simplex ATV;

  • Em 13 cm:

2.300 a 2.450 Todos os modos autorizados;

  • Em 9cm:

3.300 a 3.600 – Todos os modos autorizados;

  • Em 5cm:

5.650 a 5.920 – Todos os modos autorizados;

  • E em 3cm:

10,00 a 10,50 GHz – Todos os modos autorizados.

Nos Estados Unidos, o ATV é muito mais difundido. Lá, ele é permitido ser utilizado na banda de 70cm (420-440MHz, nos EUA). Portanto é possível captar os sinais de ATV em televisores comuns, sem qualquer necessidade de qualquer implemento. Os canais 57 a 61 da TV comercial encaixam-se exatamente nas canaletas para ATV:

57: 420-426 MHz (421.25 video, 425.75 audio)
58: 425-431 MHz (426.25 video, 430.75 audio)
58: 426-432 MHz (427.25 video, 431.75 audio)
59: 432.75-438.75 MHz (434.00 video, 438.50 audio)
59: 432-438 MHz (433.25 video, 437.75 audio)
60: 438-444 MHz (439.25 video, 443.75 audio)
61: 444-450 MHz (445.25 video, 449.75 audio)

Lá o ATV é utilizado há tempos para experimentação não comercial, transmissão de eventos e serviços públicos por radioamadores. É um outro paradigma, mesmo porque o ATV já era usado por radioamadores em várias cidades antes mesmo de várias emissoras de TV comerciais chegarem.

Aqui no Brasil, de acordo com a referida resolução da ANATEL, não encontramos canais de TV Comercial que utilizem as frequências destinadas a ATV, com suas portadoras de vídeo e áudio sintonizadas adequadamente. Apesar dos canais 146 e 147 da TV a cabo estarem na banda de radioamador e até passarem pela faixa de ATV, suas portadoras de vídeo e áudio necessitariam de um ajuste de quase 2 MHz.

Com o advento dos televisores modernos (com canais específicos de entrada de áudio e vídeo) a possibilidade de termos receptores externos em frequências mais altas como 1.2GHz e 2.4GHz, tornou a utilização do ATV mais viável e sem a utilização dos complicados downconverters. Estes, são conversores de frequência para a recepção de sinais de ATV em frequências mais altas convertidas para os canais de TV comercial.

Transmissão e recepção:

Vários kits são produzidos lá fora para a transmissão de ATV nestas frequências mais altas e que disponibilizam largura de banda suficiente para as vorazes portadoras de áudio e vídeo.

http://shop.gtronica.com/index.php?cPath=1_18 – da GTronica – Portugal

http://www.hamtvstore.com/ – da Dtech – Reino Unido

http://www.hamtv.com/ – da P.C. Eletronics – EUA

http://www.minikits.com.au/kits1.html – do Minikits – Austrália

Equipamentos de montagem amadora (não menos profissional!):

http://www.atva.com.ar – site da Argentina TeleVision Amateur

http://ik1hgi.xoom.it/atv1.htm – site do IK1HGL – Itália

http://www.qsl.net/zl1wtt/ – Site do ZL1WTT – Nova Zelândia

Há muito venho pesquisando sobre alguns transmissores e receptores “comerciais” vendidos no mercado livre e ebay dentro do espectro de frequência de radioamador. Estes kits (tx, rx antenas e câmera) são utilizados em sistemas de vigilância sem fio e também para produtoras de filmagens de eventos. Também podem ser utilizados para jogar um sinal de áudio e vídeo de um DVD para um televisor a dezenas ou até centenas de metros indoor.

Bom, kits como esse contam com transmissores entre 500 mw até 3w. Em 1.2 GHz e também em 2.4 GHz. Temos aqui alguns exemplos:

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-243584427-transmissor-de-audio-e-video-sem-fio-1500-mts-fonte-gratis-_JM (8 canais de transmissão e 12 de recepção em 1.2 GHz)

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-431861463-transmissor-receptor-de-audio-e-video-24ghz-completo-_JM (detalhe para as freq. de operação: 2,411 GHz, 2,431 GHz, 2,451 GHz, 2,471 GHz)

http://www.ebay.com/itm/Wireless-8CH-2500mW-Double-Room-To-Room-Audio-Video-Transmitter-Receiver-Fox2500-/271031016492?pt=US_Audio_Video_Transmitters&hash=item3f1ab51c2c#ht_4363wt_1033 (8 canais de tranmissão e 2,5 W em 1.2 GHz!)

http://www.ebay.com/itm/2-4g-Video-transmitter-1-5KM-for-RC-FPV-SUPPO-v-tx-Transmitter-and-Receiver-/251103806864?pt=LH_DefaultDomain_0&hash=item3a76f40590#ht_2115wt_1140 (8 canais de transmissão e 1W em 2.4 GHz!) (vale acessar o teste de campo do equipamento)

Na Deal Extreme, encontramos algumas opções: http://dx.com/c/consumer-electronics-199/other-consumer-electronics-110

No Mercado Livre também temos: http://lista.mercadolivre.com.br/transmissor-de-%C3%A1udio-e-v%C3%ADdeo

No E-Bay: http://www.ebay.com/sch/Audio-Video-Transmitters-/149958/i.html?_nkw=av+transmitter&_frs=1

Estes equipamentos comerciais têm uma desvantagem por apresentarem pouquíssimas opções de frequências para as faixas destinada a ATV nas bandas citadas.

Também é possível montar um bom equipamento de recepção para 1,2GHz a partir de receptores Banda C (na verdade Banda L de 950MHz a 2050MHz) para satélites com a utilização do LNB e uma parabólica., ou até mesmo outra antena na entrada do receptor.

Já com receptores de Banda Ku, conseguimos captar os sinais na faixa de 3cm.

ATV na prática – Uma discussão introdutória:

E já que se tocou no assunto de ATV no Brasil por conta do Balão PY2AAZ-6, do Fábio do Projeto Ícaro, no dia 18/08/2012 que levou um transmissor em 1.275.000 Khz com portadora de vídeo, gostaria de discutir alguns elementos que poderiam nos auxiliar na implementação de uma rede de ATV aqui em nosso País.

Gostaria de salientar alguns aspectos relevantes a uma possível montagem de uma rede de ATV:

Como são usadas em frequências altas por necessitarem de uma largura de banda altíssima (6MHz!) é quase imperativo se usar antenas direcionais;

Em caso de antenas direcionais, para a montagem de uma rede deveríamos apontar para um mesmo local e montarmos um repetidor de ATV num local de ampla visada e fácil acesso (ainda não previsto em nossa legislação);

Os equipamentos comerciais chineses estão com os preços interessantes. E com isso podemos massificar a aquisição, desde que padronizadas as frequências de utilização. Contudo deveríamos observar a questão da homologação de equipamentos pela ANATEL;

Não obstante o item anterior, os equipamentos em tela simplesmente transmitem ou recebem os sinais usando antenas distintas em canais pré delimitados. Para tornar o sistema viável com a utilização de uma única antena para transmitir e receber os sinais deveríamos incorporar ao conjunto um relé de rf, guia de onda ou até mesmo uma chave de antena que ao jogar para o modo recepção desligaria a transmissão e vice-versa – um transceptor de fato. Neste caso entramos para o segmento de equipamento confeccionado em casa (homebrew)? Estaríamos isentos de homologação?

Em tempo, por conta da largura de banda necessária para se estabelecer canais distintos e também para atender a res. 452/2006 da ANATEL, precisamos verificar a possibilidade de adaptar nestes kits um “VFO” mais abrangente e relés para que estes equipamentos dêem maiores possibilidades e portabilidade aos usuários. Vale destacar que o custo dos equipamentos mais as alterações não ultrapassem o valor final de importação de um equipamento com recepção e transmissão com placas controladoras, como vemos nos kits da Gtrónica ou DTech.

É possível fazer teleconferência – transmitindo e recebendo ao mesmo tempo – mas isso já seria uma conversa em particular pois precisaríamos operar em split.

A questão das Bandas:

Existem equipamentos “comerciais” em 1.2 GHz e em 2.4 GHz:

Em 1.2 GHz, temos a possibilidade de se chegar mais longe, utilizar os decodificadores analógicos e digitais de satélite para a recepção; e as suas próprias parabólicas para a recepção e transmissão;

Em contrapartida, temos faixas bem delimitadas e com pouca mobilidade para mais canais e, conforme mostrado pelo CRAM, podem ocorrer interferências no segmento ADS-B em 1080 MHz;

Em 2.4 GHz, caso os equipamentos tenham uma impedância de saída da antena em 50 Ohm, poderíamos tranquilamente usar as antenas para internet wireless;

Em contrapartida, podemos ter a interferência das redes wireless; além de ser uma banda de frequências mais altas, o que diminuiria significativamente o alcance dos sinais.

Criação do Grupo Amateur TeleVision Brasil – ATV-BR:

Para debatermos o assunto de forma mais abrangente, criamos a lista de Discussão Chamada Amateur TeleVision Brasil ou ATV-BR no yahoogrupos.

Convidamos todos os interessados a compartilharem este espaço de debate sadio e democrático que busca, a partir das experiências pessoais e trabalho em grupo a construção do novo: Uma rede de ATV no Brasil!

Clique aqui para se inscrever no Grupo:
http://groups.yahoo.com/group/atv-br/join

 

Grupo Amateur TeleVision Brasil

Link permanente para este artigo: http://www.gecre.org/?page_id=1105

%d blogueiros gostam disto: